NOS CINEMAS

Homem-Aranha: De Volta ao Lar

EM EXIBIÇÃO NOS CINEMAS
NOS CINEMAS

Homem-Aranha: De Volta ao Lar

EM EXIBIÇÃO NOS CINEMAS

Tom Holland é entrevistado por Zendaya para a ‘Interview Magazine’!

Como você descobriria que sua vida está prestes a mudar? Para o ator inglês de 21 anos, Tom Holland, ele soube que estava escalado no cobiçado papel principal da nova produção da Marvel Studios, ‘Homem-Aranha: De Volta Ao Lar’ – após um processo de audição exaustivo – através de um post do Instagram.

Não importa como as notícias chegam, ser contratado para interpretar um super-herói icônico é uma virada no jogo para qualquer jovem ator, e Holland certamente mereceu seu lugar, acumulando um histórico profissional impressionante desde que se destacou na escola de dança em sua cidade natal de Londres. Em 2008, ele fez sua estreia no teatro no musical ‘Billy Elliot’, e passou a contracenar de frente com Naomi Watts no drama ‘O Impossível’ (2012); na minissérie ‘Wolf Hall’ (2015), adaptada de dois romances históricos escritos por Hilary Mantel; e na produção inspirada por Moby Dick e dirigida por Ron Howard, ‘No Coração do Mar’ (2015). Mais cedo neste ano, Holland apareceu no longa dirigido por James Gray, ‘Z – A Cidade Perdida’, para o qual ele viajou à América do Sul ao lado de Charlie Hunnam e Robert Pattinson. Ele também tem um ótimo papel como Samuel Insull, o pioneiro engenheiro elétrico e uma vez assistente de Thomas Edison, em ‘The Current War’, previsto para lançar no fim desse ano, que narra a rivalidade entre Edison (interpretado por Benedict Cumberbatch) e seu colega inventor, George Westinghouse (Michael Shannon).

Na preparação para o esperado lançamento estrondoso de ‘Homem-Aranha: De Volta Ao Lar’ em Julho, e com ele a decolagem do seu estrelato em potencial, Holland e sua amiga e co-star em Homem-Aranha, a atriz e cantora Zendaya, se enfrentarem em um episódio do curioso programa de jogos entre celebridades “Lip Sync Battle”, que foi ao ar na MTV antes da edição desse ano do “Movie & TV Awards”. Holland, com uma performance completa de “Umbrella” da Rihanna, ganhou o dia e se tornou uma sensação viral pelo seu empenho. Em Maio, eles falaram ao telefone para um papo tipo “bate-volta”.

TOM HOLLAND: Zendaya, como você está?

ZENDAYA: Estou bem, cara. Essa é a minha primeira vez entrevistando você. É meio esquisito, vou manter isso bem simples. [ambos riem] Quando criança, o que você queria ser quando crescesse?

TH: Eu não sabia realmente o que eu queria ser. Minha mãe pensava que eu poderia dançar porque eu costumava dançar uma música de Janet Jackson que ela tocava quando eu era bebê. Então ela me levou para uma escola de dança aos sábados. Eu costumava ir toda semana e fui visto por um olheiro, que sugeriu que eu fizesse uma audição para o papel do Billy no musical “Billy Elliot”. Quando eu fiz a audição pela primeira vez, eu era muito pequeno e não conseguia dançar. [Zendaya ri] Eu fui para uma escola de meninos, onde eu joguei rugby, então balé não era a coisa mais legal a se fazer.

Z: Crianças são meio malvadas. Isso era importante?

TH: Eu acho que isso me endureceu. Eu amava fazer balé. Eu treinei por dois anos. Eu fiz audição a cada seis meses para Billy Elliot e fui ficando um pouco melhor a cada vez, e eventualmente eu consegui o papel. Eu estou muito feliz por ter tido aquele treinamento. Tem sido tão valioso para minha carreira, e eu o usei em quase tudo que fiz desde aquela época.

Z: Essa é provavelmente a razão pela qual você me venceu no Lip Sync Battle. Estou apenas justificando.

TH: Aquilo foi puro talento.

Z: O que veio depois de Billy Elliot?

TH: Meus pais decidiram que era hora de eu voltar à escola. E depois de estar na escola por apenas seis semanas, eu fui levado para a Espanha para filmar em um tanque de água com Naomi Watts para um filme chamado ‘O Impossível’.

Z: Sua mãe é uma fotógrafa, certo?

TH: Sim.

Z: E seu pai?

TH: Ele é um comediante de stand-up e autor.

Z: Você acha que isso tem a ver com a sua criatividade?

TH: Definitivamente. Eu tenho pais muito criativos. É legal ter um pai que tem estado na indústria por provavelmente mais que 30 anos, porque ele sabe tudo o que se deve ou não fazer, os prós e contras, coisas assim.

Z: Então agora vamos de Billy Elliot para um grande filme. Você queria entrar mais e mais na indústria? Porque quando eu tive meu primeiro emprego, eu só quis isso ainda mais.

TH: Isso aconteceu para mim quando eu fui fazendo mais audições para Homem-Aranha. O mais perto que eu chegava, mais eu queria conseguir. Eu devia ter cerca de 18 anos quando comecei as audições.

Z: O quão longo foi esse processo?

TH: 5 meses. Eu fiz oito audições. Eu fiz cinco “self-tapes”, e então um teste de cena com o Robert Downey Jr. e um com Chris Evans. No teste com RDJ, eles me levaram a uma sala e eu o conheci. Eu estava tão nervoso. Na minha cabeça, eu pensei “Uau, você parece estranho pessoalmente. Você não parece o mesmo como nas telas.” Eu descobri mais tarde que eu conheci seu dublê. Eu basicamente enlouqueci com o seu dublê e então eu o conheci. E então meu teste com Chris Evans foi um teste de movimento. Eu estava tipo “Eu devo fazer um ‘backflip’?” E os caras da Sony estavam tipo “Você pode fazer um ‘backflip’?” “Porra, sim. Eu tenho enviado vídeos para vocês nos últimos cinco meses comigo fazendo ‘backflips’. Como vocês não sabem disso?”

Z: Esse foi o período mais estressante da sua vida?

TH: Foi estressante porque, quanto mais perto eu chegava, mais eu podia ver meu futuro mudando.

Z:E você quis isso.

TH: O que me matou foi a espera. Mesmo depois dos meus “self-tapes”, eles iriam me ligar e dizer tipo “Nós vamos te dar notícia amanhã.” Seis audições depois, ainda nada. Na minha última audição, eles disseram “Você precisa ficar em Atlanta porque nós vamos te dizer o resultado amanhã.” Então eu fiquei em Atlanta por cerca de uma semama, porque meu primo vive lá. A cada dia que passava, não recebia nenhuma ligação. Eu voltei a Londres. Cinco semanas se passaram. Eu continuava checando meu celular a cada 20 minutos, tentando encontrar algo. Eventualmente, um dia eu estava deitado na minha cama com minha cachorrinha, passando pelo Instagram, e ali estava. Dizia “Vá ao nosso website e confira quem é o novo Homem-Aranha.” E eu fui. Dizia meu nome. Eu enlouqueci. Minha pobre cachorra teve uma crise. Eu corri pelas escadas, contei à minha família. Meu irmão, Harry, estava tipo “Não, cara. A conta da Sony foi hackeada. Eles teriam te avisado. Teriam ligado.” O que foi uma atitude bem Harry, a propósito. Ele é tão pessimista sobre tudo. Mas a Sony tinha mesmo sido hackeada há não muito tempo. Então Kevin Feige me ligou, dizendo “Eu tenho ótimas notícias. Você vai ser o Homem-Aranha.” E eu estava tipo “Eu sei, Kevin. Está no Instagram. Eu tenho 19 anos. Você realmente achou que eu não fosse descobrir?”

Z: Todo mundo me faz essa pergunta: O que você vê para si mesmo? O que você quer? Obviamente, você fez outros tipos de papeis que são diferentes do Peter Parker. Você que atuar para sempre?

TH: O objetivo em vinte anos é ser um diretor de filmes. O objetivo em quinze anos é ganhar um Oscar. O objetivo em cinco anos é apenas continuar aproveitando. Eu estou realmente vivendo o melhor momento da minha vida. Mas à medida que meu futuro segue, eu quero me expandir como ator de uma forma que Jake Gyllenhaal, Leonardo DiCaprio e Meryl Streep fazem. Eu não quero empacar em um personagem. Eu acho que isso é o que pode acontecer quando você faz um filme de super-herói. Então toda conversa que eu tenho com meu agente é “O que você tem para mim? Qual é o próximo? Quem eu posso interpretar?”

Z: É legal você querer ser um diretor. Quando eu estou no set com você, você tem uma mente parecida com a de um diretor. Você está sempre vindo com ideias e se envolvendo o tanto quanto possível.

TH: Eu gosto de dirigir porque eu gosto muito de trabalhar com atores. Eu gostaria de ser um diretor que dá aos meus atores liberdade completa enquanto colabora com eles para encontrar [o melhor] desempenho.

Z: Nós nunca tivemos essa profundidade em uma conversa quando estávamos no set.

TH: Nunca.

Z: Nossas conversas são…

TH: Infantis.

Z: O que você considera como seu maior defeito e como seu maior ponto forte? Isso é algo muito maduro de se saber.

TH: Meu maior defeito é provavelmente minha capacidade de atenção, ou a falta dela. E, embora isso pareça contraditório, meu maior ponto forte é minha ética de trabalho. Tipo, em Homem-Aranha, eu iria tentar superar todos. Dito isso, se você me pedir para ler um livro, eu apenas não consigo focar meu cérebro nisso.

Z: Eu sinto como se soubesse a resposta para isso, mas qual papel em um filme icônico você deseja que possa um dia interpretar?

TH: James Bond. Ou talvez eu faça Batman.

Z: Seria um pouco injusto se você interpretasse Homem-Aranha, James Bond e Batman, Tom.

TH: Seria muito injusto. Mas a vida não é justa, Zendaya.

Matéria original no site da Interview Magazine. 

DEIXE SEU COMENTÁRIO